13 arquitetos mostram seus espaços de home office durante a quarentena

0
38
espacos-de-home-office-juliana-pippi

A pandemia de Covid-19 fez com que 3,9 bilhões de pessoas em todo o mundo permanecessem fechadas em suas casas nos últimos dias – ou seja, quase metade da população do planeta, segundo dados levantados pela agência de notícias AFP. No Brasil, 23 estados estão adotando medidas de isolamento social para conter a disseminação da doença.

Neste cenário antes inimaginável, a casa se tornou mais do que um refúgio seguro contra o vírus – para muitos, o lar se transformou em local de trabalho. E como os arquitetos têm encarado a rotina dentro de suas próprias residências? Como é o home office deles? A seguir, mostramos o cantinho de trabalho em casa de 13 grandes arquitetos brasileiros e um relato de cada um sobre esta experiência sem precedentes.

Marcio Kogan

“Assim como todo mundo, estou muito triste com tudo que está acontecendo, mas tento levar com tranquilidade este momento. Não existe outra opção. Organizamos na semana anterior à quarentena a forma que iríamos trabalhar remotamente. Está funcionando de forma razoável. Todos levaram junto ao pessoal de TI os computadores do escritório para suas casas. Não acredito que serão mais que dois ou três meses nessa situação mas, lembrem-se: a Segunda Guerra durou cinco anos. No final de tudo, sou bastante otimista com o que virá depois de tudo isso”.

Newton Lima

“Tenho uma boa estrutura de home office em casa. É um local propício para pesquisas e de onde saem as melhores idéias. Nesta quarentena, aproveito para reorganizar tudo: desde os livros até as prioridades. Objetos e valores. Documentos e disponibilidade para estar com a família”.

Juliana Pippi

“Minha sala de jantar virou meu home office. Adoro trabalhar aqui com muita luz natural e ótima ventilação. Daqui faço as calls e vídeos com os clientes e minha equipe. Confesso que há muito tempo não trazia trabalho para casa. Estabelecer uma nova rotina diária e ter foco foi difícil no começo. Passadas duas semanas de quarentena, encaro o desafio com mais leveza e tento ver o lado bom de tudo isso. As pessoas nunca mais serão as mesmas e acho que a tecnologia que hoje a gente tem e nos possibilita trabalhar online nunca foi não útil e fundamental. Ah, e umas das delícias de trabalhar em casa… ficar descalço, claro!”.

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site Casa Vogue com a matéria completa.

Facebook Comments