Iluminação Circular: conheça o movimento que pode mudar o mercado unindo luz e sustentabilidade
Foto por Singkham via Pexels

Por Paulo Scalabrin

A economia circular está transformando o modo de operação de diversos setores do mercado. De olho nas 17 diretrizes dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2030, muitas industrias e diferentes modelos de negócios estão buscando desenvolver processos de menor impacto ambiental. Os consumidores, por sua vez, estão mais atentos e conscientes das pautas voltadas a preservação do ecossistema. Portanto, no setor de iluminação não é diferente. O conceito de iluminação circular já está presente em empresas e projetos luminotécnicos e tende a ganhar cada vez mais espaço.

“O importante, nesse momento, é que as empresas e os envolvidos na cadeia tenham consciência do seu impacto. E, assim, trabalhem como protagonistas para atingir esse objetivo comum”, conta o gerente de produto da Omega Light Iluminação, Ricardo Fahl. Empresa que tem desenvolvido projetos que unem luz e sustentabilidade.

Atuação

Desde 2014, a empresa trabalha em processos mais sustentáveis que incluem a diminuição de resíduos e descarte consciente de materiais como o plástico para o reaproveitamento. Integrante de uma área que tem a eficiência como um dos principais parâmetros, tem buscado estender esse conceito além dos sistemas de iluminação eficazes, econômicos e seguros. Ademais, tem desenvolvido parcerias para reaproveitamento de materiais, envolvendo algumas etapas da cadeia produtiva.

“Sentimos a necessidade de ir além e buscar o fechamento do ciclo de vida do produto. Para isso, desenvolvemos uma resina dedicada para luminárias em parceria com uma empresa especialista e pioneira em economia circular no Brasil, a Boomera. Com isso, transformamos o nosso produto em ferramenta de retirada do plástico que teria destino incorreto, com uma atuação responsável e rastreável junto a cooperativas de catadores, com o trabalho desse nosso parceiro”, informa Fahl.

Leia também:

Mercado

Apesar da indústria da iluminação estar começando a caminhar nesse processo mais sustentável, a tendência é que o movimento ganhe força. Isso se deve, além das metas da ODS, às políticas como a ESG (Enviromental, Social and Governance), ao perfil dos consumidores que estão cada vez mais conscientes da importância de processos clean (limpos), incluindo produção mais eficiente, operações e produtos menos poluentes, redução de desperdício e reciclagem, e reaproveitamento de materiais.

Só para trazer um exemplo, na construção civil a sustentabilidade é parte do processo. O conceito de Green Building tem ganhado força com sistemas construtivos mais eficazes. Eles envolvem avanços como redução de entulho, sistemas de captação de energia solar, reaproveitamento da água, tijolos sustentáveis, obras em off-site (pré-montadas), entre outros. Com a iluminação circular, hoje é possível fazer projetos totalmente sustentáveis.

“É importante perceber que a economia circular e os impactos positivos podem ir além do produto. A utilização de fontes de energia renováveis e ações de responsabilidade social são alguns exemplos de como o mercado pode contribuir com a agenda de sustentabilidade”, afirma o gerente.

Envolvimento

A economia circular não significa apenas uma transformação nos processos produtivos envolvendo soluções que reduzam o impacto ao meio ambiente, mas uma mudança de comportamento como um todo para fazer com que as iniciativas sustentáveis também impactem na redução de custo e proporcionem lucros.

Segundo o gerente, a parceria e alinhamento entre as empresas e conscientização dos consumidores são partes importantes do processo. Ele destaca dois exemplos: a parceria de logística reversa como uma empresa de cosméticos, em que as embalagens de cremes coletadas nas lojas serviram de material para o desenvolvimento de resinas para a fabricação de luminárias. No outro caso, cabides quebrados de um varejista de moda resultaram na produção de 1000 luminárias utilizadas em uma loja conceito da marca.

Para Fahl, “o consumidor final também já procura um estilo de vida mais sustentável e busca se relacionar com empresas que adotam práticas com impactos positivos para o meio ambiente e para a sociedade. Portanto, nosso trabalho busca disseminar a importância do tema e mostra que unidos podemos fazer acontecer, com produtos eficientes, de design e com impacto ambiental positivo”.

Perspectivas

Apesar de o processo de economia circular ser uma realidade em fase inicial no setor de iluminação, o mercado sinaliza que o conceito deve ganhar mais espaço tanto na atuação das empresas quanto no desenvolvimento dos projetos pelos lighting designers. Por isso, é importante ficar de olho nesse movimento para acompanhar como cada trabalho pode contribuir no processo.

“Já estamos trabalhando com a meta de que 25% dos novos desenvolvimentos tenham como premissa a utilização de matéria-prima reciclada. Por isso, no início do segundo semestre, vamos lançar uma linha de produtos utilizando a nossa resina reciclada Leaf. Para esse lançamento, escolhemos uma linha de luminárias embutidas, que são produtos com uma representatividade maior no volume de vendas. Com isso, queremos ter o maior impacto positivo possível de maneira mais rápida e assertiva. Pensando em um médio – longo prazo, queremos fechar de maneira completa o ciclo de economia circular”, acrescenta Fahl.

Para o gerente, mesmo com a difusão da sustentabilidade e economia circular aliado aos estudos e investimentos para aumento das iniciativas no País, alguns desafios precisam ser superados para que a prática se fortaleça no mercado. Como, por exemplo, a viabilização de ações de logística reversa e a concepção errônea que muitos consumidores ainda têm sobre a qualidade dos produtos feitos com materiais reaproveitados.

Economia circular é um tema atual e faz parte da programação da Expolux Digital Week que acontece entre os dias 10 e 12 de agosto. Para os interessados no assunto, o gerente de produtos Ricardo Fahl ministrará a palestra “Iluminação Circular: a luz como ferramenta de sustentabilidade”, no primeiro dia do evento, às 16h30. Inscrições e informações em: https://bit.ly/36YqniA.

Facebook Comments Box