Como trabalhar com iluminação indireta

Para construir ambiente harmônico e bem decorado, também precisamos de um bom projeto de iluminação, para garantir que os detalhes dos arranjos tenham seu destaque na ambientação. São várias os tipos de iluminação que entram em cena para criar um espaço agradável, e um deles é a iluminação indireta.

E é sobre esse assunto que vamos tratar hoje. Aliás, você sabe do que se trata a iluminação indireta e como ela é capaz de aprimorar sua decoração? Calma, é mais fácil do que imagina! Neste post, você confere um guia para aprender a usar esse tipo de luz a fim de aprimorar o design da sua casa ou escritório e ainda deixar seu espaço muito mais aconchegante.

Portanto, acompanhe a leitura e fique por dentro!

O que é a iluminação indireta?

O próprio nome já indica, a iluminação indireta é uma iluminação que não clareia de forma direta o objeto. Trata-se de uma técnica usada em ambientes internos e externos que, em combinação com o projeto de arquitetura proporciona iluminação adequada e contribuição estética.

Seu funcionamento acontece da seguinte forma: a luz incide sobre um objeto e, então, é refletida por ele e atinge o local que se deseja iluminar. A iluminação indireta transmite uma luz suave, uma vez que ela não precisa necessariamente ter um foco específico.

Além disso, essa iluminação pode distribuir a luz para um grande espaço e fazer isso por meio de de diversos itens. Sabendo desses aspectos, nossa dica é que essa iluminação seja utilizada em ambientes com paredes claras – desse modo, ela tende a refletir melhor pelo cômodo.

O que considerar antes de aplicar a luz indireta no seu espaço?

Quando se está planejando a iluminação de um ambiente, cabe considerar alguns aspectos para criar um conjunto harmônico. Portanto, antes de aplicar a iluminação indireta na sua casa, considere:

  • Tamanho do espaço e quantidade de luminárias necessárias: meça o espaço disponível a quantidade de luminárias serão necessárias para alcançar uma luminosidade eficiente;
  • Temperatura das lâmpadas: além de estudar o tamanho do ambiente a ser iluminado, é importante verificar a temperatura correta da luz e a lâmpada ideal para cada caso.
  • Diferentes cômodos: também vale pensar que há uma iluminação ideal para cada ambiente. A cozinha irá ter uma iluminação diferente da sala, dos quartos e da sala de jantar, por exemplo.

São inúmeros os aspectos a serem considerados, não é? Se precisar, recorra à ajuda de um profissional capacitado para te auxiliar na missão de deixar sua casa mais bonita. Mas se você é daqueles que gosta de colocar a mão na massa, veja nossas dicas de como aplicar a iluminação indireta e mãos à obra!

Iluminação indireta: qual a melhor forma de aplicar?

É possível aplicar a iluminação indireta em diversos lugares, desde em sancas de gesso no forro, no teto e até no chão. Basta um pouco de criatividade e conhecimento para fazer das luminárias um forte instrumento para decoração.

A luz indireta pode ser reproduzida por luminárias com filtros foscos ou ainda voltada para cima, para não criar sombras da luz e ofuscamento no ambiente e, assim, ser iluminado uniformemente.

Se as lâmpadas estiverem bem distribuídas no local, o efeito de uniformidade da iluminação indireta será melhor. Essa iluminação também pode acontecer por meio de lâmpadas de LED e fitas que simulam lâmpadas fluorescentes.

Para comprimir essas funções é necessário spots, arandelas ou lâmpadas dicróicas e halógenas para destacar detalhes específicos na parede.

Esta é uma curadoria de conteúdo da RX Brasil sobre como trabalhar com iluminação indireta. Para continuar lendo, acesse o site da Decorlumen.

Facebook Comments Box